sexta-feira, 13 de julho de 2018

O Advogado Roberto Parentoni é pré-candidato a Presidente da OAB/SP

POR QUE SOU PRÉ-CANDIDATO A PRESIDENTE DA SEÇÃO SÃO PAULO DA DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

Nasci em São Paulo e passei parte da minha vida no interior. Sem qualquer tradição familiar, prestei vestibular para Direito e no interior me formei.

No interior iniciei minha militância na Advocacia. Mais tarde, de volta a São Paulo, fiz uma escolha pela Advocacia Criminal e pude fazer uma pós-graduação em Direito Penal e Direito Processual Penal. Continuei construindo meu caminho na defesa dos direitos de clientes, da cidadania e da democracia, incluindo casos de repercussão nacional.

Participei de mais de 300 Tribunais de Júri, alguns também de repercussão nacional. Escrevi livros jurídicos, sou professor de cursos de prática penal e de pós-graduação. Escrevi vários artigos publicados pela mídia escrita e redes sociais. Concedi entrevistas a rádios, jornais e televisão. Sou um dos fundadores e presidi, por duas gestões, o Ibradd – Instituto Brasileiro do Direito de Defesa. Também sou membro atuante de várias associações relacionadas ao Direito e à Advocacia.


Cito esses dados para frisar que todo esse tempo estive falando (e vivendo) do Direito, assim como do direito de defesa, das prerrogativas dos advogados, da OAB, de cidadania, da defesa de nossa Constituição e defendendo que somos não só operadores, mas pensadores do Direito.

Nesses mais de 27 anos de militância (desde 1991) tive a oportunidade de conhecer, participar de campanhas e colaborar com vários candidatos à presidência da OAB/SP, alguns que foram eleitos (Batochio, Approbato) e outros não (Rosana, Toron e Sayeg). Essas oportunidades foram de grande valia pra mim e acredito ter colaborado de maneira positiva com todos. Nunca fui candidato, mas não sou um novato nessa seara.

Penso que o mundo está se renovando e todas as coisas nele também. Na OAB/SP, não pode ser diferente. O nosso grupo entende que sou essa liderança capaz de colaborar com e para essa renovação. Um novo parâmetro, novas ideias, novas possibilidades, novos ganhos, novas lutas. Um nome para quem está cansando de continuísmo e quer renovação na nossa entidade de classe.

Será uma jornada de grandes desafios, mas nosso grupo, Movimento #AdvocaciaRaiz, conta com valorosos colaboradores, com a confiança no nosso trabalho e em nossa competência para caminharmos juntos para a Vitória, não minha, mas nossa.

Vocês, Advogados e Advogadas, podem fazer parte dessa renovação, desse compromisso que todo nosso grupo assume com a OAB/SP e a história da Advocacia paulista.

Junte-se a nós entrando em contato pelo WhatsApp (11) 97118-6886.

Fraternal abraço.
Roberto Parentoni
parentoni.com

terça-feira, 3 de julho de 2018

O Advogado Roberto Parentoni entra na disputa pela OAB-SP

 O Advogado Roberto Parentoni entra na disputa pela OAB-SP

É com muita honra que declaro oficialmente a minha pré-candidatura à OAB-SP! Começo de um longa e vitoriosa caminhada!!!

Vamos todos juntos!

Fraterno abraço
Roberto Parentoni
parentoni.com

#oab2018 #robertoparentoni #advocaciaraiz #avante

sábado, 23 de junho de 2018

“Por mais ‘Pensadores do Direito’ e menos operadores...“ Roberto Parentoni​

“Por mais ‘Pensadores do Direito’ e menos operadores...“ Roberto Parentoni​

Vamos caminhar juntos para uma Advocacia mais forte e atuante!!!

ADVOCACIA RAIZ - ROBERTO PARENTONI  - OAB




sexta-feira, 1 de junho de 2018

CRIME SOB INFLUÊNCIA DE VIOLENTA EMOÇÃO - Roberto Parentoni, Advogado Criminalista



Por: Roberto Parentoni, Advogado Criminalista

CRIME SOB INFLUÊNCIA DE VIOLENTA EMOÇÃO

"A emoção não está sujeita ao tempo cronológico, mas sim ao tempo psicológico"
O Código Penal em seu artigo 65, III, c, diz que é circunstância sempre atenuante da imposição da pena, ter o agente cometido o crime sob a influência da violenta emoção, provocado por ato injusto da vítima e, especificamente para os crimes de homicídio e lesões corporais, no caso do agente ter cometido o crime, sob o domínio da violência emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, fica o juiz autorizado a reduzir a pena de um sexto a um terço (art. 121, § 1º e 129 § 4§), ou seja, em ambos, é exigido pela lei que a agressão tenha ocorrido logo após a injusta provocação.
Entretanto, entendo, haver um enorme “vale” entre a lei e a realidade, pois a emoção não está sujeita ao tempo cronológico, mas sim ao tempo psicológico, como ensinam os mais ilustres juristas. GIUSEPPE BETTIOL leciona que o estado de ira pode perdurar por algum tempo, e pode ressurgir violento à recordação da provocação sofrida. BASILEU GARCIA complementa, afirmando que realmente, seria excessivo rigor pretender que os estados passionais não tivessem nem o poder de diminuir a pena, através de avaliação subjetiva da conduta, e o nosso Código expressamente dispôs a esse respeito, criando figuras em que há sensível atenuação penal sob a égide da emoção ou paixão.
Fraternal Abraço
Roberto Parentoni
www.parentoni.com


Dr Parentoni ministra Pós Graduação em Direito e Processo Penal com ênfase em Tribunal do Júri em Cuiabá

O Advogado Criminalista Dr Roberto Parentoni ministra Pós Graduação em Direito e Processo Penal com ênfase em Tribunal do Júri em Cuiabá nos dias 08, 09 e 10 de junho de 2018




sábado, 12 de maio de 2018

O Criminalista Roberto Parentoni participa no IX EBAC – Encontro Brasileiro da Advocacia Criminal, evento da ABRACRIM – Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas

O Criminalista Roberto Parentoni participa no IX EBAC – Encontro Brasileiro da Advocacia Criminal, evento da ABRACRIM – Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas
Veja a programação definitiva do IX EBAC – Encontro Brasileiro da Advocacia Criminal, evento da ABRACRIM – Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas.
O maior encontro da advocacia criminal da América Latina. 



domingo, 4 de fevereiro de 2018

Drs Cristiano Zanin, Advogado do ex-Presidente Lula e Roberto Parentoni, Advogado Criminalista


Já dizia Sobral Pinto: “A advocacia não é profissão de covardes.” Conspícuo amigo Cristiano Zanin, e eu repito um ditado árabe: “Os cães ladram e a caravana passa.” Sucesso... Avante!!!

Roberto Parentoni 
www.parentoni.com

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Livros de autoria do advogado criminalista Dr Roberto Parentoni

Advocacia Criminal: A Arte de Defender

capa-parentoni-500x752
São os advogados e advogadas tão importantes para a materialização da Justiça, ordem social, cidadania e democracia quanto os juízes e os promotores de acusação, não havendo qualquer hierarquia entre eles, ou melhor, entre nós.
Aquele que escolhe esta área para atuar deverá sempre ter em mente que estará defendendo a pessoa e seus direitos e não o crime do qual o cliente é acusado. O advogado criminalista é a voz, cabeça e mãos dos direitos que cabem a qualquer pessoa.
Ser advogado criminalista é defender, utilizando a legislação, razões e argumentos, todo cidadão chamado a responder em Juízo por acusação que lhe é feita, devendo este, por poder da nossa Constituição Federal, ser considerado inocente até sentença transitada em julgado.
Ao falar, ao comportar-se, ao agir, ao escrever, ao opinar, ao atuar, não poderá mais portar-se como o estudante que, anos atrás, ingressou nas lidas dos estudos jurídicos em uma Faculdade ou Universidade. Nem mesmo como o mesmo homem.
Aquele que escolhe ser advogado deve saber que a partir do momento em que estiver apto a exercer sua profissão, ou seja, após aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil, obrigatório em todo o País, estará imbuído de responsabilidades.
O advogado estará sempre contrariando interesses e expectativas. A seara será um lugar de muita luta. O ambiente será difícil. O espírito do Advogado deverá ser sempre combativo e deverá estar sempre atualizado com as leis vigentes e as notícias em geral.
A profissão de advogado é controvertida. Muitos a elogiam e muitos a condenam. É, porém, a única que consta em nossa Constituição Federal (conforme o art. 133) como um dos pilares da Justiça e indispensável à sua administração.

As Alterações no Processo Penal


Breves Considerações sobre o Processo,Teses e Defesa Penal – Tribunal do Júri, Provas e ProcedimentosLei 11.689/08 – Lei 11.690/08 – Lei 11.719/08

Prática da Advocacia Criminal

Este livro tem o objetivo de levar até os estudantes, bacharéis, recém-formados e advogados a prática da Advocacia Criminal, desde o inquérito policial, quando se inicia a captação de indícios ou provas de um delito, passando pelo Tribunal do Júri, Recursos cabíveis e, por fim, a Execução Penal.
Em breve outros mais, assim seja!

Fraterno abraço

Roberto Parentoni